quarta-feira, 7 de agosto de 2013

LENDA DAS YABÁS - Sábados, 03, 10, 17, 24 e 31 de Agosto às 20h.

EM CARTAZ - A ancestralidade da cultura Afro em cena no Teatro Sesi Rio Vermelho 

QUANDO: Sábados, 03, 10, 17, 24 e 31 de Agosto às 20h. 

ONDE: Teatro Sesi Rio Vermelho (Rua Borges dos Reis, 09, Salvador, Rio Vermelho) 

INGRESSOS: R$ 20, (int.) – R$ 10, (meia) – Classificação: 16 anos  

CONTATOS: 71- 3018-7122/ 3328-3628 – www.lendadasyabas.blogspot.com.br 




RESUMO SOBRE O ESPETÁCULO:  



O Espetáculo Lenda das Yabás, que está em cartaz há ininterruptos sete meses, realiza no Teatro Sesi Rio Vermelho aos Sábados03, 10, 17, 24 e 31 de Agosto às 20h.  A encenação que tem texto e direção de Fábio S. Tavares (Escombros, Benedita, Fogueira) apresenta a história da ancestralidade da cultura afro-brasileira utilizando-se das lendas de sete Yabás: Yansã, Obá, Ewá, Oxum, Nanã, Otim e Yemanjá descrevendo a fúria de um Deus (Olorum) que age de acordo com suas emoções. O espetáculo traz os Orixás em forma humana e sua dramaturgia valoriza a oralidade das personagens frisando que todo ser vivo possui uma parcela divina sendo capaz de se conectar com Deus com base nas suas energias e ações emitidas. 


 A história contada pelos 22 atores da Companhia de Teatro Terra Brasilis se localiza num passado e tempo indefinidos onde revoltado com a destruição e discórdias que os homens vêm causando a aiê (Terra) Olorum infertiliza as mulheres (as Yabás) e prende a chuva para que a terra fique seca causando a extinção da raça humana. Exu, que consegue chegar a Olorum tornando-se guardião do segredo que poderá salvar os homens e a Terra da destruição aproveitando-se da situação e ao longo de toda história causa diversas armadilhas buscando a vingança pelo mau que os homens lhe causaram exigindo festa e comida para revelar o segredo até que Oxalá vem ao reino de Xangô para selar a paz entre Olorum e os homens transformando-os em orixás e conscientizando os Seres que ali antes viviam sem valorizar o que lhes é dado de forma generosa pelo Deus Maior.  

Nenhum comentário: